EPA

AUTOR

Redação

Grammys: as incidências

today 11 de fevereiro de 2019

Aquela que é a mais mediática cerimónia de prémios da música, os Grammys, é sempre abundante em grandes momentos. No caso da cerimónia deste ano, apresentada por Alicia Keys, a surpresa começou logo no início, com a aparição da antiga Primeira Dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, ladeada por Lady Gaga, Jada Pinkett Smith e pela própria anfitriã. "A música sempre me ajudou a contar a minha história, independentemente se gostamos de country, rap ou rock. A música ajuda a partilhar o que somos", declarou a antiga ocupante da Casa Branca.

 

Houve vários tributos nesta cerimónia dos Grammys, no Staples Center, em Los Angeles. Mas havia um que era obrigatório, o de Aretha Franklin, uma das grandes lendas que perdemos nos últimos 12 meses. Um trio de cantoras - Fantasia, Andra Day & Yolanda Adams - interpretou uma das músicas maiores da aclamada rainha da soul, '(You Make Me Feel Like) A Natural Woman'.

 

Coube a Jennifer Lopez um medley de mais de seis minutos de clássicos da editora da soul Motown, que celebra 60 anos de atividade discográfica. Esta atuação bem coreografada começou em 'Dancing in the Street', continuou em êxitos como 'ABC' ou 'Papa Was a Rollin' Stone' e terminou com 'Another Star'.

 

Lady Gaga (na foto em cima), que somou mais três Grammys na prateleira lá de casa, interpretou ao vivo 'Shallow,' a canção principal do filme nomeado para os Óscares, "A Star Is Born".

 

Kacey Musgraves não se limitou a levar quatro grafonolas douradas para casa. Também cantou ao vivo o single mais recente, 'Rainbow', de "Golden Hour", disco premiado com o Grammy de Melhor Álbum do Ano. 

 

St. Vincent e Dua Lipa fizeram um dos duetos mais explosivos da noite: um híbrido entre 'Masseduction' (de St. Vincent) e 'One Kiss' (de Dua Lipa).