Paulus Editora

AUTOR

Redação

Feira do Livro de Lisboa regressa "maior, mais sustentável e inclusiva"

today 22 de maio de 2019

A maior, a mais sustentável e inclusiva edição de sempre. É assim que se apresenta a 89ª edição da Feira do Livro de Lisboa, que regressa ao Parque Eduardo VII, na próxima quarta-feira, dia 29 de maio.

Este ano, o evento conta com mais 25 participantes (138 ao todo), 32 novos pavilhões (são 238 no total) e com 636 editoras presentes (mais 10 marcas editoriais do que em 2018).

Bruno Pacheco, secretário-geral da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), lembra que a Feira do Livro de Lisboa continua a ser a "maior livraria do país". "Mais de 90% dos títulos à venda na maioria das livrarias do país estão aqui", acrescenta.

A grande novidade do certame, que foi apresentado esta tarde, é o novo espaço dedicado aos "Novos Participantes", que vai contar com 15 pavilhões, e que pode ser encontrado do lado esquerda da entrada sul do recinto.

Um local que vai receber editores e livreiros que participam no evento pela primeira vez, como é o caso da Fundação de Serralves ou da Ler Devagar.

Feira do Livro é cada vez mais amiga do ambiente

Outra das novidades da Feira do Livro de Lisboa é a disponibilização de 60 mil sacos de papel reutilizáveis, para que os visitantes possam transportar os livros num único saco.

Feitas as contas, Bruno Pacheco garante que a Feira do Livro vai contar, este ano, com menos 200 mil sacos de papel e de plástico.

Pela primeira vez, o evento conta com 10 cadeiras de rodas e 5 andarilhos (cedidos pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa), disponíveis para todos os visitantes com mobilidade reduzida.

O site do evento foi melhorado, a aplicação móvel foi atualizada e, este ano, o recinto conta con três pontos de carregamento para telemóveis e com os habituais espaços de restauração (são 42).

Feira do Livro é "cada vez mais familiar"

Este ano, a Feira do Livro de Lisboa conta com um novo espaço pensado para as famílias. O "Sensório Forbrain", do lado direito do recinto, pretende simular as sensações que todos temos quando lemos um livro. A entrada é gratuita e está acessível a todas as famílias que passarem pelo evento.

Tal como o ano passado, a programação cultural do evento está a cargo das Bibliotecas Municipais de Lisboa (BLX). Mais uma vez, o destaque será para as atividades dedicadas ao público infantil, com música, visitas guiadas e oficinas.

A 1 de junho, Dia Mundial da Criança, a Feira do Livro contará com uma maratona de leitura de contos infantis, que começará às 11h00 e que se prolongará até às 23h00. A Feira do Livro de Lisboa conta, mais uma vez, com a iniciativa “Acampar com Histórias”, uma iniciativa da APEL e das BLX, que promove pernoitas na Estufa Fria e atividades ao longo dos dias do certame.

Horários de funcionamento mantém-se

Este ano, a Feira do Livro de Lisboa mantém os horários de funcionamento de 2018: encerra, de domingo a quinta-feira, às 22h00, e às sextas-feiras, sábados e vésperas de feriado fecha as portas às 00h00.

O evento conta, mais uma vez, com a iniciativa "Doe Os Seus Livros", um projeto da APEL e do Banco de Bens Doados (BBD) que desafia os visitantes a doarem os livros novos ou usados que têm por casa ( que são encaminhados para crianças apoiadas por instituições que integram a rede BBD). Bruno Pacheco conta que, ao longo dos últimos quatro anos, já foram recolhidos e entregues cerca de 30 mil livros, "uma iniciativa de sucesso e que temos muito gosto em replicar este ano".

O diretor-executivo da APEL explica, ainda, que a “Hora H” está de regresso, mas apenas na segunda e terceira semana do evento, entre as 21h00 e as 22h00.

O ano passado, o evento contou com 492 mil visitantes. A Feira do Livro de Lisboa começa a 29 de maio (quarta-feira) e prolonga-se até 16 de junho.