Ouça a Smooth FM em qualquer lado.
Faça o download da App.

MUSEUS / EXPOSIÇÕES / MONUMENTOS

Partilhamos aqui algumas das sugestões culturais que falamos na emissão.

PITORESCOS E NAIFS: DO GUIA TURÍSTICO AO VIEW-MASTER EXPOSIÇÃO
Sair de casa não é tarefa fácil e fazer-se à estrada é um acto de coragem. Se o Grand Tour inaugurou o período romântico da viagem, os menos privilegiados tiveram de aguardar que Thomas Cook tirasse partido da grande expansão do barco a vapor e do caminho de ferro para alcançarem versões compactas e express das experiências inscritas na literatura do género.
Pitorescos e naifs são estes manuais de sobrevivência para os aventureiros do vagão de segunda: pequenos livros de instruções desenhados para acomodar as diatribes e perrices da viagem em família. No seu conjunto representam um exercício especulativo sobre formas de abordar o desconhecido, assumindo no processo um carácter tanto emancipador como invasivo, que levou Georges Van den Abbeele a equiparar um grupo de turistas a uma força expedicionária sem armas. O fascínio destes guias turísticos encontra-se nesta inevitabilidade em estabelecer um imaginário e mistificar uma experiência – aconteça ela na visita a uma trincheira, ou à volta de uma travessa de bacalhau.
Exposição com Curadoria de Rui Silva.
7 maio a 13 agosto 2022 - Gabinete Gráfico — Biblioteca Municipal Almeida Garrett, Porto.

CORPOS MODERNOS DO PALCO - EXPOSIÇÃO
“Corpos Modernos do Palco (Fotografia de Silva Nogueira 1920-1930) reúne um conjunto de retratos de atores portugueses fotografados por Silva Nogueira e pertencentes ao acervo do Museu Nacional do Teatro e da Dança num período que vai do início da década de 1920 até aos primeiros anos da de 1930.
Para ver até 21 de agosto de 2022 no Centro Português de Fotografia, no Porto.

EUROPA OXALÁ - EXPOSIÇÃO

Esta exposição apresenta cerca de 60 obras de 21 artistas cujas origens familiares se situam nas antigas colónias em África. Nascidos e criados num contexto pós-colonial, são artistas cujas obras se tornaram incontornáveis na arte contemporânea europeia, propondo uma reflexão sobre as suas heranças, as suas memórias e as suas identidades. Os pais e avós dos vinte e um artistas presentes na exposição nasceram e viveram em Angola, no Congo, no Benim, na Guiné, na Argélia, em Madagáscar; dos seus antepassados, estes artistas herdaram memórias que lhes chegam de forma difusa no seio da família e de grupos de amigos e que não são não só vozes, sons e gestos, mas também imagens e recordações das suas culturas de origem, pontos de partida para um importante trabalho de investigação nos arquivos históricos, familiares e institucionais. As suas produções artísticas alimentam uma reflexão original sobre o racismo, a descolonização das artes, o estatuto da mulher na sociedade contemporânea ou ainda a desconstrução do pensamento colonial.
04 março a 22 agosto 2022 - Fundação Calouste Gulbenkian – Lisboa 

DE BEBIANA A ANITA (EXPOSIÇÃO)
A For.Ever Art Gallery inaugura dia 23 de junho, a exposição “Retratos Contados de Anita Guerreiro – de Bebiana a Anita“.
A mulher que imortalizou o nome da capital portuguesa com a canção “Cheira Bem, Cheira a Lisboa“, a atriz e cantora, que esgotava todas as sessões das revistas em que participava no saudoso Parque Mayer, no Coliseu e em outras salas onde o público ia massivamente assistir ao teatro de revista.
Uma exposição comissariada por Nelson Mateus, patente até 26 de Agosto, com entrada gratuita.
MORADA: Av. António Augusto de Aguiar 25 A, Lisboa - HORÁRIO: 2ª a 6ª feira – 10h às 19h / Sábado – 10h às 18h. 

PRIMAVERAS ESTUDANTIS - EXPOSIÇÃO
Um exposição que pretende mostrar a importância do movimento estudantil para a democracia portuguesa da crise de 1962 ao 25 de Abril.
Filmes originais guardados nos arquivos da Cinemateca, sons da rádio pública, fotografias censuradas que nunca puderam ser impressas nos jornais, textos escritos às escondidas e distribuídos com regras de segurança apertadas, autocolantes artesanais e muitos outros objetos de valor histórico, recolhidos em coleções privadas e arquivos pessoais, estarão em exibição nos monitores, pontos de escuta e vitrines.
Esta viagem multimédia inclui ainda um mural de homenagem aos mais de 900 estudantes presos durante a ditadura.
25 março a 28 agosto 2022 - Museu Nacional de História Natural e da Ciência - Lisboa

FRIDA KAHLO EXPOSIÇÃO
Frida Kahlo, A vida de um ícone é uma biografia imersiva que o leva numa viagem pela vida de uma das artistas mais influentes de todos os tempos.
Nesta criação multimédia, entre fotografias históricas e filmes originais, é guiado por diversos ambientes sonoros e artísticos que reproduzem momentos relevantes na vida de Kahlo, mostrando a história por detrás do ícone.
A experiência divide-se em dois momentos. No primeiro, percorre diversas instalações artísticas, onde pode vivenciar a realidade virtual e criar um modelo personalizado de Frida. Posteriormente, será imerso num espetáculo audiovisual em 360º pautado por momentos singulares do percurso pessoal da artista.
A figura de Frida Kahlo permanece icónica na sociedade moderna. A sua vida, espírito rebelde e talento inspiram enquanto mulher de personalidade forte, singular e fora do seu tempo.
A biografia imersiva de Frida Kahlo é apresentada sem reproduções de pinturas da artista com a intenção de dar total destaque à sua experiência vida.
Alfândega Porto - De Quarta a Domingo | 14h30 -19h30 - 11 março a 29 agosto 2022 

A ARTE QUE É III
Entre os dias 9 de abril e 31 de agosto o Centro de Arqueologia e Artes de Beja terá patente ao público a exposição A ARTE QUE É III, de Pedro Portugal.
A exposição inclui pinturas de grandes dimensões, várias instalações e diversos objetos, convidando os visitantes a refletir acerca da essência da própria Arte e da sua função social. Pintor, escultor, especialista em informação visual, ensaísta, consultor e pedagogo, Pedro Portugal assume um olhar desassombrado sobre estas questões, com o sentido de humor e ironia que lhe são característicos.
09 de abril a 31 de agosto- Centro De Arqueologia E Artes De Beja

OS NOVOS NOVOS - EXPOSIÇÃO
Esta exposição mostra os caminhos dessa invenção, novas ideias que fazem falta ao mundo e, também, a vontade de construir melhor protagonizada por uma nova geração. 
São cinco ateliers de arquitetos portugueses — rar.studio, fala, Diogo Aguiar Studio, Ponto Atelier, Barão-Hutter — que trabalham em Lisboa, Porto, Funchal e St. Gallen, na Suíça. Estes arquitetos mostram-nos a qualidade e variedade de propostas para transformar os lugares que habitamos. Sobretudo, constroem um retrato das preocupações, objetivos e processos de trabalho de hoje, naturalmente diferentes de outros arquitetos e arquiteturas que precederam o nosso tempo.
Os novos arquitetos têm preocupações, ambições e modus operandi diferentes de gerações precedentes e, como esta exposição quer demonstrar, respondem com maior acutilância aos desafios de hoje. Talvez por isso, Os Novos Novos não sejam apresentados em forma de manifesto, mas como um conjunto de fragmentos e ideias que tanto fazem eco entre si como apontam caminhos divergentes. Cada atelier trouxe uma obra construída e um projeto ainda não construído, capaz de explicitar o quanto temos a ganhar ao confiarmos mais responsabilidade aos novos arquitetos. Os Novos Novos não encolhem os braços perante a pressão e, à medida que o seu corpo de trabalho vai crescendo, tanto mostram a vitalidade da disciplina como forma de conhecimento como o quanto o nosso futuro pode ser melhor.
Terça a domingo, das 10:00 às 18:00, de 15 de março a 4 de setembro de 2022.

 VHILS - PRISMA - EXPOSIÇÃO
Alexandre Farto, aka Vhils, apresenta ao público, no maat, uma proposta monumental e inesperada que recorre exclusivamente ao vídeo, uma linguagem que o artista português tem vindo a explorar mais recentemente. Prisma é uma exposição composta por um conjunto de imagens representando o quotidiano em nove metrópoles: Cidade do México, Cincinnati, Hong Kong, Lisboa, Los Angeles, Macau, Paris, Pequim e Xangai, onde o artista realizou, ao longo dos últimos anos, importantes trabalhos de arte pública.
Esta instalação de grande escala, com registos em câmara lenta projetados em ecrãs que transformam o espaço da Galeria Oval num convincente labirinto urbano, proporciona ao visitante uma experiência verdadeiramente imersiva, numa construção que manipula e distorce efeitos de espaço, escala e luz.
Desenvolvida num contexto global, anterior à crise pandémica, a instalação envolve-nos em ambientes banais em que a individualidade de cada cidade, assim como a identidade dos seus habitantes, se perde. Porém, ao percorrer estes espaços anónimos, os visitantes têm a oportunidade de recuperar a sua autonomia através de um distanciamento crítico que resulta num exercício de contemplação, introspeção e reflexão sobre um passado recente que nos parece, afinal, tão afastado. Para ver no MAAT até 5 de setembro de 2022.

JUAN GENOVÉS – A INTENSIDADE DO SILÊNCIO - EXPOSIÇÃO 
A força do silêncio e a “solidão infinita” que atravessam o universo pictórico de Juan Genovés (1930 – 2020) são reveladas ao público na exposição Juan Genovés – A Intensidade do Silêncio, a primeira dedicada à obra do artista espanhol a ser realizada em Portugal, patente no Centro Cultural de Cascais entre 4 de junho e 11 setembro de 2022, numa iniciativa da Fundação D. Luís I e da Câmara Municipal de Cascais no âmbito da programação do Bairro dos Museus.

MOUZINHO: DA RIBEIRA AO AEROPORTO -EXPOSIÇÃO
Em Junho de 1872, o director Geral da Secretaria da Câmara Municipal do Porto, Luís Antonio Nogueira apresentou à Câmara a “Planta do Projecto da rua da Biquinha parallela à rua das Flores a qual a Ex.ma Camara pretende mandar abrir para ligar o Largo da Feira de S. Bento com a Rua de S. João”.
Seria a Rua Mouzinho da Silveira. O novo eixo uniria o Porto ribeirinho e a distinta praça do Infante à praça D. Pedro IV, terminando onde viria a ser a estação de S. Bento, de onde partiria a ligação ao tabuleiro superior da ponte Luiz I (1887), seguindo para sul, para a estrada de Oliveira de Azeméis, para Lisboa.
Exposição com curadoria de Álvaro Domingos e Ivo Poças Martins.
10 MARÇO–11 SETEMBRO 2022 -  CASA DO INFANTE, Porto - Entrada Gratuita. HORÁRIO: Terça—Domingo, 10H—17H30. Encerra às segundas e dias feriados.


A LUA E A TERRA (EXPOSIÇÃO)
Nesta exposição, exploramos a relação da Lua com a Terra, mostrando como a Lua nos influencia das mais variadas formas.
A Lua é o único satélite natural da Terra e a sua presença tornou a Terra um local mais adequado à vida, com a estabilização do clima, as marés e a iluminação periódica nas noites de Lua Cheia. A Lua é, ainda, o único local fora da Terra visitado pelo Homem. 
De 9 de julho a 13 de setembro de 2022 no Passeio Marítimo do Estoril.

A MODA EM PORTUGUÊS. 1970-2020 - EXPOSIÇÃO
Os últimos 50 anos da história da moda em exposição na Casa do Design, uma colaboração com o MUDE – Museu do Design e da Moda
PORTUGAL POP apresenta uma seleção de quase 200 coordenados de moda de designers de diferentes gerações, percursos e linguagens, propondo múltiplos diálogos, com várias referências – da música ao espetáculo, dos ofícios tradicionais à sustentabilidade – e fomentando o debate sobre a identidade da moda portuguesa e o seu valor cultural, económico e social, nos últimos 50 anos da nossa história. 
O que é a cultura de moda em Portugal? Como se vestiu Portugal nos últimos 50 anos?
Como se viveram os conceitos de portugalidade, património e identidade, tendo em conta os diferentes contextos políticos, económicos e culturais que o país atravessou?
A proposta curatorial de Bárbara Coutinho pretende revelar múltiplas formas como o património material e imaterial, as técnicas oficinais e os saberes, e também os conceitos de lugar, território, portugalidade, pertença e memória, se refletem no trabalho de quase 40 designers de moda representados e a forma como são projetados para a contemporaneidade. PORTUGAL POP procura assim debater a influência das tradições culturais e da identidade coletiva nacional no universo da moda, pondo em evidência as relações entre a cultura popular e a erudita, o cosmopolitismo e o nacionalismo, a urbanidade e o mundo rural, a tradição e a visão de futuro das novas gerações.
Com propostas de Alexandra Moura, Alves/Gonçalves, Constança Entrudo, Dino Alves, Helena Cardoso, Filipe Augusto, José Carlos, Luís Buchinho, Maria Gambina, Maria-Thereza Mimoso, Miguel Flor, Nuno Gama, Storytailors, entre muitos outros, a exposição propõe um diálogo entre gerações e referências, que dão corpo ao debate acerca da identidade da moda portuguesa e do seu valor cultural, económico e social. As vivências pessoais, a colaboração criativa entre designers e figuras da arte e da música pop, assim como as questões da sustentabilidade da moda e a recuperação de saberes e práticas tradicionais, são também elementos em destaque. A exposição apresenta ainda peças vestidas por Amália Rodrigues, António Variações, Doce, Heróis do Mar, The Gift, Joana Vasconcelos, Conan Osíris e Cláudia Pascoal, artistas que deram um significativo valor ao vestuário e ao “cunho português” na construção da sua imagem e marca.
Até 18 de setembro - Casa do Design, Matosinhos,  Edifício Paços do Concelhos.

SPLASH - DÁ UM MERGULHO NO MAR DE LIXO- EXPOSIÇÃO
“Splash – Dá um mergulho no mar de lixo!” é a nova exposição do Espaço SMAS (Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra) da Ribeira de Sintra, que explora o potencial artístico de resíduos recolhidos nas praias de Sintra, ao mesmo tempo que sensibiliza para uma problemática que, cada vez mais, prolifera nas zonas balneares. Patente de 21 de maio a 24 de setembro, a exposição combina as duas facetas de Nuno Antunes*, fotógrafo profissional e defensor do ambiente, e desvenda ao visitante a possibilidade de “dar uma nova vida” ao lixo, ao mesmo tempo que apela a uma redução da produção de resíduos.
€4 – Adulto; €3 – Cartão Jovem / Estudante; €3 – 4 aos 17 anos; Grátis – Criança (até 3 anos inclusive); €3 – Sénior: €12 – Família (2 adultos e 2 crianças até aos 17 anos); Grátis: Munícipes de Sintra.

JOÃO DE ALMEIDA SANTOS – LUZ NA MONTANHA (EXPOSIÇÃO)
Em Luz na Montanha, o artista, escritor e professor universitário João de Almeida Santos apresenta, em 34 obras, uma amostra da sua constante busca pela sinestesia total entre a poesia e a pintura, perseguindo “com determinação, um diálogo entre duas artes, mas onde cada uma das expressões estéticas conserva a sua própria autonomia de linguagem e de narrativa”.
A obra plástica que Almeida Santos dá a conhecer no Centro Cultural de Cascais revela a presença palpável e a influência da linguagem poética na sua pintura. A poesia é o fio condutor entre o artista e o mundo real. É mesmo por isso que todas as pinturas têm um poema associado, sem exceção. Para o artista, a pintura tem também uma função orgânica – “a de tornar visível o discurso oculto da poesia, dar-lhe cor”.
A carga poética das suas telas, em que utiliza a técnica da pintura digital sobre papel de algodão, revela-se através do uso de cores quentes sob o fundo negro, como recurso que permite evidenciar, com maior pregnância, as formas e as cores. O artista parte sempre de uma imagem captada em fotografia, sobre a qual explora plasticamente um “determinado ângulo de visão, seja de um rosto, de um corpo, de uma flor ou de uma paisagem”.
O artista começou a ilustrar os seus poemas há cerca de três anos e meio. “É uma interpelação complexa onde poesia e pintura cooperam para intensificar o chamamento e a convocação para a experiência estética”, afirma no texto do catálogo que acompanha a exposição.
Almeida Santos é Doutor Europeu em Ciências da Comunicação pela Faculdade de Ciências da Informação da Universidade Complutense de Madrid e Licenciado em Filosofia pela Universidade de Coimbra. É autor e coautor de trinta e três obras de filosofia, ciência política, comunicação, poesia e romance e de mais de uma centena de ensaios nas mesmas áreas, em revistas nacionais e estrangeiras e também em suporte digital. Luz na Montanha é a sua primeira exposição de pintura.
Para ver de 23 de julho a 25 de setembro de 2022, no Centro Cultural de Cascais – Piso 2.

MÚSICA QUE SE VÊ (EXPOSIÇÃO)
Música que se vê é uma exposição temporária que procura realçar a estreita ligação entre o modo como percecionamos o cinema, a televisão e a música que lhes dá corpo. Organizada em 12 temáticas, a exposição reúne 97 discos revisitando filmes intemporais, séries ou telenovelas que nos marcaram, assim como música que nos ficou na memória.
A seleção resulta de um ‘salto aos bastidores’ do Museu. A perspetiva é, sobretudo, a de valorização e divulgação de um núcleo da coleção que não se encontra normalmente acessível ao público, mas também a de partilha e (re)descoberta de música. Como tal, ao longo da exposição estão disponíveis códigos QR que possibilitam o acesso a playlists desenvolvidas para cada um dos 12 núcleos. Estas playlists reúnem uma seleção de vídeos do YouTube alusivos aos discos expostos.
Exposição - segunda a sábado, das 10h às 18h. De 27 junho a 2 outubro 2022, no Museu Nacional da Música, em Lisboa.

O BELO, A SEDUÇÃO E A PARTILHA (EXPOSIÇÃO)
No âmbito do programa O Belo, a Sedução e a Partilha, a exposição apresenta dois novos quadros da Fundação Gaudium Magnum Ártemis aparece a Admeto e Alceste e Ifigénia em Áulide.
As duas obras são da autoria de um dos mais notáveis artistas do barroco italiano, Sebastiano Ricci (1659-1734). Tratando-se embora de dois temas da mitologia clássica, estas duas soberbas telas são testemunho da modernidade do estilo internacionalizado de Ricci, herdeiro da tradição colorista veneziana e percursor, em muitos aspetos, da pintura rocaille.
Para ver de 14 julho a 2 outubro 2022 no Museu Nacional de Arte Antiga

"MENEZ" - EXPOSIÇÃO
A mostra dá a conhecer 40 anos da obra da pintora portuguesa Menez através de uma seleção de 29 trabalhos apresentados na Sala Zero do Museu Casa das Histórias Paula Rego, que iniciou um novo ciclo de exposições com o objetivo de apresentar a obra de artistas cujas trajetórias se tenham cruzado com a de Paula Rego.
10 de março e 2 de outubro de 2022 - Casa das Histórias Paula Rego

HISTÓRIAS DE UM IMPÉRIO (EXPOSIÇÃO)
A colecção Távora Sequeira Pinto documenta as profundas relações artísticas existentes entre Portugal e as culturas do Império Asiático.
Ao invés de outras colecções, igualmente focadas no Período dos Descobrimentos, geralmente mais especializadas numa ou noutra expressão plástica - como a porcelana chinesa, o mobiliário indiano, os marfins goeses ou as lacas japonesas - o acervo desta colecção documenta uma diversidade muito alargada de origens, tipologias e materiais. Por outro lado, os modelos europeus adoptados nas oficinas asiáticas também se encontram aqui representados. Será porventura este diálogo permanente entre o Ocidente e o Oriente, o que melhor caracteriza e identifica esta colecção.
Evitando uma leitura tradicional e redutora, nomeadamente de âmbito cronológico e geográfico, a exposição procura em oito núcleos diferentes revelar a riqueza e a complexidade da arte produzida nas redes criadas por Portugal, um pouco por toda a Ásia, num verdadeiro ensaio visual de que a colecção é notável.
Sendo a colecção Távora Sequeira Pinto uma colecção privada de grande visibilidade, com empréstimos a museus nacionais e internacionais para exposições, nunca, no entanto, foi objecto de uma mostra unicamente focada nas suas obras. Esta iniciativa, que inclui algumas das obras mais importantes das colecções do Museu do Oriente, irá certamente surpreender os visitantes e também reforçar o entendimento dos primeiros séculos da presença de Portugal na Ásia e as suas relações com a Europa daquele tempo. Terça a quinta, sábado e domingo, das 10h às 18h, sexta, das 10h às 20h.
Para ver no Museu do Oriente, em Lisboa, até 2 de Outubro de 2022.

BANSKY – GENIOUS OR VANDAL EXPOSIÇÃO
BANKSY: Génio ou Vândalo? Aproxima-nos do controverso universo artístico de um dos mais influentes criadores dos últimos anos, através de diferentes áreas temáticas criações que incluem obras originais, esculturas, instalações, vídeos e fotografias. As peças, provenientes de coleções particulares são exibidas pela primeira vez no Porto. São 2000 metros quadrados de exposição que a define como a maior exposição do artista alguma vez realizada em Portugal.
20 Maio 2022 - 04 Outubro 2022 - Alfândega do Porto
Horários de entrada: – 11h00: entrada das 11h00 até às 15h00 //  15h00: entrada das 15h00 até às 19h00.

O MILAGRE DO RISO (EXPOSIÇÃO)
Por ocasião das comemorações do 7º Centenário do nascimento de Santo António em 1895, Bordalo concebe um conjunto de peças em cerâmica para fins devocionais e outras de cariz popular que assumem um registo caricatural, todas elas produzidas em série pela Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha.
A obra de Rafael Bordalo Pinheiro revela-se como um claro testemunho da antiguidade das Festas de Lisboa como as conhecemos hoje. Apesar de algumas tradições se terem perdido, grande parte delas mantêm-se vivas.
Com esta exposição, o Museu Bordalo Pinheiro pretende prolongar e dar continuidade à mostra O Milagre do Riso apresentada no Museu de Lisboa – Santo António, entre fevereiro e maio. À primeira seleção de obras juntam-se outras, bem como alguns documentos do espólio do museu, que sublinham a presença da figura do Santo António na produção artística de Bordalo Pinheiro.
Para ver no Museu Bordalo Pinheiro de 7 de junho a 9 de outubro de 2022.

 TO GO TO. JORGE QUEIROZ | ARSHILE GORKY (EXPOSIÇÃO)
A exposição «to go to. Jorge Queiroz | Arshile Gorky» reúne desenhos e pinturas dos artistas Jorge Queiroz e Arshile Gorky, ambos representados na Coleção do Centro de Arte Moderna.
Esta exposição resulta da aproximação entre dois artistas, um moderno, Arshile Gorky (Khorkom, Arménia, c. 1904 – Sherman, Connecticut, 1948), e um contemporâneo, Jorge Queiroz (Lisboa, 1966). A ideia inicial era simplesmente observar o modo como a obra de Gorky «fala» a Queiroz. E Queiroz transformou o projeto numa instalação onde acolhe, ou recebe, a visita de Gorky. Como refere num texto que escreveu para a exposição, «frequentou Gorky até o acolher na sua visão da exposição (…) e Gorky estava lá [na exposição, no estúdio] quase sempre sentado a preto e branco como na sua fotografia».
De 8 de julho a 17 de outubro de 2022, 10:00 – 18:00 (Encerra à Terça-feira), no Museu Calouste Gulbenkian – Galeria de Exposições Temporárias.

RICARDO MARCELINO – AUTORRETRATOS E OUTROS ASSUNTOS (EXPOSIÇÃO)
O espaço da Capela, inserido no edifício do Centro Cultural de Cascais, recebe uma seleção de pinturas e desenhos do artista Ricardo Marcelino (Lisboa, 1990), reunidos na exposição Autorretratos e outros assuntos. 
Marcelino utiliza, sobretudo, a técnica da pintura a óleo e carvão em suportes e formatos diversos, desde a tela e o papel. Em Autorretratos e outros assuntos, o jovem pintor explora uma vertente mais íntima e autorreferencial na sua produção artística, apresentando um corpo de trabalho que surgiu do intuito de iluminar a sua identidade enquanto pessoa e enquanto pintor. “São quadros compostos por momentos da minha infância, misturando idealizações do real, bem como organizações paisagísticas”, afirma.
Nas 25 obras que compõem a exposição – entre autorretratos, retratos e paisagens particulares de Cascais e arredores –, o artista constrói um universo pictórico próprio que convida à observação atenta e prolongada. O artista refere que o trabalho que tem vindo a desenvolver consegue “traduzir o caráter objetivo de um mundo próprio e perfeitamente distorcido com o intuito de mostrar a potencialidade do ato poético, do ato criativo”.
Ricardo Marcelino é formado pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, onde obteve, em 2020, o título de Mestre em Pintura.
Pode ver esta exposição de 9 de julho a 23 de outubro de 2022 no Centro Cultural de Cascais – Espaço Capela (piso 0).

ANIMAL FARM (EXPOSIÇÃO)
Animal Farm é um projecto de cinco anos do fotógrafo taiwanês Chou Ching-hui. Chou usa os jardins zoológicos como a sua fonte de inspiração criativa e como locais de filmagem para apresentar a vida sumptuosa e confusa da sociedade contemporânea. Os jardins zoológicos são espaços cheios de imaginação e de conflito. Apresentam as maravilhas da vida moderna através de uma colecção de animais raros de todo o mundo, fazendo alusão à salvação apocalíptica da Arca de Noé, ao proteger as espécies ameaçadas de extinção.
Chou usa a “jaula” do jardim zoológico como uma metáfora para a “jaula” da vida moderna. A maioria das suas obras são captadas em película a cores, no formato 8x10. Ao combinar uma cena e uma atmosfera surrealista, o artista conduz o público a analisar atentamente todos os elementos e detalhes nas imagens, à procura de pistas que ajudem a interpretar estas imagens misteriosas e a criar uma conexão com as suas experiências pessoais.
De 14 de Julho a 23 de Outubro de 2022 no Museu do Oriente.

DO ALTAR PARA A RUA (EXPOSIÇÃO)
O ceramista Delfim Manuel criou 13 peças dedicadas a Santo António exclusivamente para a exposição Do Altar para a Rua. 
Para além destes trabalhos inéditos do artista de Rebordões (Santo Tirso), esta será também uma oportunidade para revisitar os quase 30 anos de carreira deste ceramista que nos últimos 25 anos criou, anualmente, uma imagem única de Santo António que produz em pequenas séries numeradas.
Terça a domingo, das 10h às 18h (última entrada 17h30), de 19 junho a 30 outubro 2022 no Museu de Lisboa - Santo António.

A MÚSICA NO DESENHO (EXPOSIÇÃO)
A integração de anjos músicos nos temas religiosos passou a ser comum na arte europeia durante a Idade Média, apesar da desconfiança com que as autoridades religiosas sempre encararam a música devido ao seu poder sedutor e hedonista. A partir do século XV essa atitude de reserva tendeu a desaparecer, cedendo ao efeito visual das graciosas figuras angelicais acompanhadas de instrumentos musicais de belas formas.
À elegância das figuras juntava-se a evocação da música como alusão ao paraíso e à transcendência divina. Nos séculos seguintes, a representação de temas com músicos e instrumentos musicais foi ganhando diferentes conotações e novos propósitos, tanto no âmbito do sagrado como no profano.
Da coleção do museu, apresentam-se alguns desenhos de diversas épocas e autores que tornam evidente o fascínio que os artistas sempre sentiram pela abordagem destes temas.
De 12 de julho a 30 de outubro 2022, no Museu Nacional de Arte Antiga.

 "VIVER A SUA VIDA, GEORGES DAMBIER E  MODA" - EXPOSIÇÃO
A exposição "Viver a sua Vida, Georges Dambier e a Moda" com curadoria da investigadora da Faculdade de Arquitetura, Anabela Becho, pode ser vista no Museu Nacional do Traje e no Museu Nacional do Teatro e da Dança.
Mostra a visão singular do icónico fotógrafo francês no contexto da alta costura parisiense dos anos 1950.
Ter-Dom 10.00-13.00 e 14.00-18.00. 6 de maio a 30 de Outubro de 2022. Entrada: 2€ (só exposição temporária) e 5€ (exposição temporária + exposição permanente).

ESPERAR SENTADO...O DESIGN DA CADEIRA EM PORTUGAL (EXPOSIÇÃO)
A exposição cultural do Roca Lisboa Gallery, “Esperar sentado… O design da cadeira em Portugal.” surge no seguimento do ciclo de conversas que ocorreu, entre 2021 e 2022, e procura desenhar o percurso histórico do design da cadeira em contexto nacional.
Através da análise do mais icónico móvel de assento, a Cadeira, tenta-se, nesta exposição, construir a sua evolução e contextualização através dos testemunhos diretos dos seus criadores. Serão reportados alguns dos exemplos mais importantes dos participantes neste núcleo de conversas que agora se irá converter em exposição.
Olhando para este objeto enquanto barómetro das condições culturais e sociais que atravessaram o país, através de peças da autoria de Carmo Valente, António Garcia, Daciano da Costa, Nuno Ladeiro, Toni Grilo, Marco Sousa Santos, Paulo Parra, Pedro Silva Dias ou Daniel Caramelo, tentaremos esboçar um traço da segunda metade do séc. XX em torno do design de cadeiras em território nacional.
A exposição é de entrada livre, e pode ser visitada de segunda a sexta-feira, entre as 10h30 e as 17h30, no Roca Lisboa Gallery, de 30 junho a 31 de outubro de 2022.

“AJAX ET PLURES” EXPOSIÇÃO
É o nome da nova exposição do artista visual e músico João Paulo Feliciano que estará patente no campus Porto da Universidade Católica Portuguesa. Uma iniciativa que se enquadra na adesão da Universidade Católica como membro fundador da Fundação de Serralves.
A exposição contempla um conjunto de obras dos anos 1990 e 2000 do artista, pertencentes à coleção de Serralves, e conta também com uma obra inédita concebida para a Universidade.
As obras apresentadas na exposição são representativas de momentos distintos do percurso de João Paulo Feliciano, onde será possível assistir à atitude irónica e provocadora do artista, bem como a sua vontade de implicar o espetador na interpretação da sua obra, características que se revelam transversais no diverso corpo do seu trabalho.
Até 1 de novembro, Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa – Porto

DEBAIXO DA PELE- EXPOSIÇÃO
Uma antologia da obra de Miguel Telles da Gama, incluindo o seu mais recente projeto artístico e conjuntos selecionados a partir de um repositório de três décadas, com curadoria de: José Luís Porfírio.
Sem uma total obediência cronológica, esta apresentação compreende obras que têm o desenho e a citação como bases de evocações imaginárias, evoluindo para uma utilização constante do desenho gráfico, da imagem fotográfica e da imagem cinematográfica, passando dos fragmentos de artes decorativas tradicionais ao espelho cego das armaduras de aparato do século XVI. As peles são múltiplas, como múltiplas são também as inscrições desenhadas ou escritas: todas mostram, todas escondem, todas aparecem, todas desaparecem, de algum modo revelando o que se esconde debaixo da pele, a insatisfação e o desejo de mudança unidos numa mesma pulsão transformadora.
De 6 de julho a 6 de novembro de 2022 no Museu Coleção Berardo.

BORDALO EM TRÂNSITO - EXPOSIÇÃO
Bordalo em Trânsito convida a um percurso através da obra do artista, num ensaio que revisita os seus temas de eleição e oferece uma leitura plural e informada do seu talento, criatividade e notável capacidade de trabalho.
A exposição Bordalo em Trânsito apresenta-se como uma proposta de releitura dos temas bordalianos à luz do presente, com a preciosa nota de que o espírito crítico e o humor podem ser os aliados perfeitos para a construção de uma cidadania ativa, participada, construtiva.
Bordalo à Mesa celebra um tema que lhe era querido ao corpo e ao espírito: a boa mesa. Os alimentos e a gastronomia enriquecem registos gráficos e peças de cerâmica de opulência real. Em ambientes realistas ou humorísticos, desde o mais simples legume à mais cerimoniosa refeição, a comida serve, também, como metáfora para a crítica política e social – sem papas na língua.
Até 30 novembro 2022 - Museu Bordalo Pinheiro – Lisboa 

ABSTRACTO, BRANCO, TÓXICO E VOLÁTIL, DE JULIÃO SARMENTO - EXPOSIÇÃO
Julião Sarmento (1948–2021) foi um dos artistas portugueses com uma carreira internacional mais solidamente firmada, tendo construído um percurso artístico de enorme coerência, riqueza e intensidade. Em permanente renovação, em estreita ligação com as práticas artísticas da sua época e muito influenciado pela cultura anglo-saxónica e pelos temas e imagens da literatura e do cinema, utilizou uma grande diversidade de meios e técnicas para implantar um vocabulário conciso de imagens ambíguas. A sua obra tem uma dimensão performativa e teatral, acumulativa pela permanente convocação de temas e de representações intemporais — como a mulher, a sexualidade, a transgressão, a memória, a dualidade, a casa, a palavra — que funcionam como eixos estruturantes da sua obra.
A exposição Abstracto, Branco, Tóxico e Volátil reúne uma seleção de obras muito significativa que resultou de uma estreita colaboração do artista com a curadora Catherine David.
De 11 de maio a 30 de Dezembro Museu Coleção Berardo, Lisboa.

DOS PÉS à CABEÇA (EXPOSIÇÃO)
Dos Pés à Cabeça é uma exposição sobre a representação do corpo humano, tema que desde sempre inspirou os artistas e fascinou os mais novos.  
Especialmente pensado para um público infantojuvenil, este projeto reúne obras de artistas modernos e contemporâneos, refletindo diferentes modos de olhar e de pensar o corpo nos mais diversos suportes.
A exposição, com a curadoria de Cristina Gameiro, inclui ainda uma linha do tempo que acompanha a história da representação do corpo ao longo de várias épocas e culturas, assim como um espaço lúdico, com atividades para todas as idades. 
Para ver no Museu Berardo de 25 de junho de 2022 a 1 de janeiro de 2023.

SOMBRAS DO IMPÉRIO (EXPOSIÇÃO)
Esta nova exposição "Sombras do Império | Belém – Projetos, Hesitações e Inércia 1941-1972" pretende dar a conhecer a sucessão de planos urbanísticos e projetos de arquitetura cujo centro foi a Praça do Império. Menorizados ou até esquecidos pela historiografia, estes projetos revelam-se hoje particularmente significativos, pela escala e natureza das transformações que anteviam, pela orientação programática que preconizavam, pelo investimento de meios que implicariam, pela extensão do seu período de elaboração, em contraponto com o pouco que foi concretizado.
A partir de documentação de natureza diversa – desenhos e memórias descritivas, pareceres, ofícios, legislação, fotografias, bibliografia da época – e de investigação académica recente, a exposição mostra um percurso cronológico centrado nos projetos para a Praça do Império e área envolvente e para os designados “Palácio do Ultramar” e “Museu do Ultramar”, considerando ainda outras propostas para grandes edifícios públicos a localizar na orla ribeirinha de Lisboa.
Estes projetos são a base para abordagens diversas e complementares, apresentadas por investigadores de diferentes formações disciplinares, que irão aprofundar a contextualização e ensaiar propostas de leitura crítica: Urbanismo, Arquitetura, Paisagismo, Arte Pública, Património, Propaganda e Ideologia coloniais.
Para ver até 30 janeiro 2023 no Padrão dos Descobrimentos.

SÉ CATEDRAL DO PORTO (MUSEU + CLAUSTROS + TORRE)
Construída numa localização privilegiada na cidade, a catedral da Sé do Porto é é um dos edifícios mais antigos e mais bonitos do Porto. O exterior do edifício parece uma cidadela antiga a vigiar a “cidade invicta”. No interior, a nave central e os claustros oferecem uma experiência mística que se compara somente à sua coleção única de cenas bíblicas feitas com azulejos típicos portugueses.
Descubra a incrível Sé do Porto com visitas aos claustros, ao museu e à torre. 
Suba à torre e tenha uma vista panorâmica incomparável sobre o Rio Douro e o centro histórico do Porto
Passeie pelos claustros e encante-se com as paredes únicas de azulejos que representam cenas religiosas.
Horário de Inverno (novembro a março): De segunda a domingo, das 9h00 às 17h30. A torre encerra às 17h00.
Horário de Verão (abril a outubro): De segunda a domingo, das 9h00 às 18h30. A torre encerra às 18h00.

REVOLUTIONS XENAKIS (EXPOSIÇÃO)
Esta exposição, coproduzida pela Philharmonie de Paris, integra as comemorações do centenário do compositor Iánnis Xenákis na Fundação Gulbenkian e destaca as arquiteturas do som concebidas por Xenákis ao longo da sua carreira.
O ano de 2022 marca o centenário do nascimento do artista Iánnis Xenákis (Roménia, 1922 – França, 2001), compositor, teórico, matemático, arquiteto e engenheiro central nas artes do século XX. A Fundação Calouste Gulbenkian comemora esta data através da apresentação de seis obras encomendadas ao artista e de uma exposição focada nas arquiteturas do som concebidas por Xenákis ao longo da sua carreira. 
Curadoria: Mâkhi Xenakis e Thierry Maniguet
17 de novembro de 2022 a 13 de março de 2023, 10:00 – 18:00 (Encerra à Terça-feira), no Museu Calouste Gulbenkian – Galeria de Exposições Temporárias.

PORTO LEGENDS - THE UNDERGROUND EXPERIENCE  - EXPOSIÇÃO
O piso inferior da Alfândega do Porto é palco do espetáculo de video mapping sobre as lendas e histórias da cidade. “Porto Legends – The Underground Experiência” é um espetáculo audiovisual único a nível mundial, que pretende promover junto do público uma experiência imersiva subterrânea, tendo como mote a cidade do Porto, as suas lendas e mistérios. 
Para além da projeção de vídeo mapping nas paredes, no chão, e nos tetos do espaço, este espetáculo utiliza pela primeira vez em Portugal um conjunto de 20 telas holográficas para que o vídeo projetado ganhe uma dimensão fantasmagórica. É uma experiência de 360 graus, inédita a nível mundial.
A arquitetura mágica das Furnas da Alfândega do Porto e a investigação do notável historiador Joel Cleto, foram a sinergia perfeita para que o atelier OCUBO criasse uma dramaturgia cheia de mistério, entre a realidade e a magia. Com direção artística de Nuno Maya, o espetáculo é narrado pelas vozes de Pedro Abrunhosa, grande autor português, e Jeremy Irons, ator galardoado com o Oscar Academy para “Melhor Actor”.
21 Mai 2022 - 12 Abr 2023

IMPRESSIVE MONET & BRILLIANT KLIMT EXPOSIÇÃO
Impressive Monet  Impressive Monet é uma reinterpretação das obras de arte de um dos impulsionadores do impressionismo que mostra o que está para além da moldura, através de uma viagem pelo mundo de artista e pela sua busca interminável pela captura da luz. O público será imerso pelo movimento impressionista do artista e envolto pelas linhas e cores que fazem parte do mundo de Monet. Brilliant Klimt Brilliant Klimt traça o percurso pelos aspectos biográficos e pelo legado artístico do artista austríaco através da sua pintura icónica – O Beijo. Este será o fio condutor da viagem pelo trajecto artístico ao mesmo tempo que são exploradas as influências do mundo de Klimt. O público ficará imerso na intimidade de Klimpt e sentir-se-á imerso pela arte romântica do artista.
20 Maio 2022 - 04 Agosto 2023 -  Alfândega do Porto 

WORLD OF DISCOVERIES  - MUSEU

World of Discoveries é um Museu Interativo e Parque Temático que reconstrói a fantástica odisseia dos navegadores portugueses, que cruzaram oceanos à descoberta de um mundo desconhecido. 
Fernão de Magalhães, Vasco da Gama, Bartolomeu Dias — esta é a oportunidade perfeita para visitantes conhecerem as histórias dos desbravadores mais famosos e carismáticos de Portugal. Desvende as fantásticas odisseias portuguesas enquanto desfruta de exposições multi-sensoriais e interativas. Além disso, o seu Bilhete sem fila garante que não precise esperar para desfrutar de toda a diversão. Com 20 instalações permanentes incríveis, sinta-se como um verdadeiro desbravador nesta jornada inesquecível. Relembre a história de Portugal com performances ao vivo com atores fantasiados com trajes do século XV, e deixe sua imaginação guiá-lo através das exposições interativas, incluindo o túnel de 9 metros, réplica do Cabo da Boa Esperança.
HORÁRIOS: Dias úteis- 10H00 às 18H00 (última entrada às 17H30) / Fins-de-semana e feriados- 10H00 às 19H00 (última entrada às 18H30)
20 maio 2022 - 20 novembro 2025

MUSEU DA MODA E DOS TÊXTEIS 
O Museu da Moda e dos Têxteis está alojado em Vila Nova de Gaia, no quarteirão da WOW.É lá que pode conhecer os passos todos, desde o processamento da matéria-prima para obtenção do fio, passando pela tecelagem, acabamentos, confeção da peça e terminando na recriação de uma montra. Pode conhecer também o trabalho de alguns dos estilistas mais prestigiados em Portugal, e alguns dos novos talentos, e a arte da filigrana.
Pode visitar o museu as 12h às 19h durante a semana e a partir das 10h aos fins de semana, os bilhetes estão à venda no site.

MUSEU DO HOLOCASTO PORTO
É o primeiro espaço da Península Ibérica dedicado ao Holocasto. Criado pela Comunidade Judaica do Porto (CIP/CJP), o Museu do Holocausto do Porto ocupa um espaço de 500 metros quadrados, onde os visitantes pode visitar a reprodução dos dormitórios de Auschwitz, corredores com a narrativa completa e fotografias e ecrãs com filmes reais sobre o antes, durante e depois da tragédia. Situa-se na Sinagoga Kadoorie Mekor Haim.

ARQUIVO SONORO DIGITAL - ONLINE
No Museu do Fado pode ouvir repertórios e Registos Sonoros desde o Início do Século XX.

CASA MUSEU MEDEIROS ALMEIDA - ONLINE
A Casa-Museu Medeiros e Almeida deixa sugestões para visitar virtualmente a casa museu e aceder às suas novidades.

MUSEU BORDALO A PARTIR DE CASA - ONLINE
Museu Bordalo Pinheiro tem investido na divulgação digital da obra bordaliana para que todos possam aceder a ela facilmente. Por isso mesmo, através do site, do Facebook ou do Instagram poderá descobrir a imensa obra de Rafael Bordalo Pinheiro e divertir-se sem sair do sofá.

MEMÓRIAS DE LISBOA - ONLINE
A página Memórias de Lisboa é um lugar especial para visitar. Reúne fotografias incríveis da cidade antes e agora e permite uma experiência interactiva fantástica, onde se percebem as diferenças entre sítios, monumentos ou ruas históricas, que aparecem lado a lado. O portefólio recorre a imagens de arquivo de espaços como o Arquivo Municipal de Lisboa ou a Gulbenkian e ao trabalho do autor desta ideia, Francisco Seixas, que, não sendo fotógrafo, foi juntando as suas próprias imagens mais atuais destes lugares emblemáticos.
O projeto é um livro em aberto e a ideia é ir acrescentando mais imagens. Fica o convite de fazer este passeio virtual pelo passado e pela passagem dos anos em Lisboa.

VISITA VIRTUAL EXPOSIÇÃO RENÉ LALIQUE - GULBENKIAN - ONLINE
Esta é a primeira exposição que a Fundação Calouste Gulbenkian dedica a René Lalique desde 1988, centrada na relação do artista com o vidro. A seleção de cerca de 100 objetos, provenientes da Coleção do Fundador e de outros museus e coleções particulares, reúne joias, peças de ourivesaria, vidros e objetos de design.  Para ver AQUI.

VISITA VIRTUAL DE DUAS COLEÇÕES - GULBENKIAN - ONLINE
Coleção do Fundador
Objetos do Antigo Egito, do Oriente Islâmico ou obras de artistas como Rembrandt, Turner, Monet, Rodin ou René Lalique são alguns dos destaques de uma das mais importantes coleções particulares de arte internacional, reunida em vida por Calouste Gulbenkian
Coleção Moderna
Amadeo de Souza-Cardoso, Almada Negreiros, Paula Rego ou Vieira da Silva são alguns dos artistas representados na Coleção Moderna, que reúne uma das mais completas coleções de arte moderna e contemporânea portuguesa, desde o final do século XIX até à atualidade. Para ver AQUI.

Sugestões Culturais

Preencha os seguintes dados, por favor:

Por favor, faça a conta abaixo.