TEATRO / DANÇA

Partilhamos aqui algumas das sugestões culturais que falamos na emissão.

FEIRA DE OUTUBRO
A companhia Cegada já estreou, Feira de Outubro, uma peça fortemente inspirada pela cultura flamenca (Património Cultural Imaterial da Humanidade - UNESCO) com o titulo original Calle del Infierno da autoria de Antonio Onetti - talvez o mais conhecido dramaturgo andaluz contemporâneo e actual presidente da SGAE - Sociedad General de Autores y Editores de Espanha.
SINOPSE: 
"Nenhum Homem é uma ilha isolada" - John Donne.
"Persona" significa do latim "Máscara" e para Carl Gustav Jung - um dos fundadores da psicologia analítica (1875-1971) - a personalidade que define um indivíduo, na procura de ser uma apresentação aceitável de si mesmo perante o mundo, esconde geralmente os seus verdadeiro pensamentos e sentimentos.
Talvez um pouco mais de margem financeira ao fim do mês,  uma operação estética ou uma viagem sabática, possam ajudar estas três raparigas a encontrar o seu verdadeiro "eu" perdido nas máscaras da rua do inferno da Feira de Sevilha (como propõe o autor) ou, entre os carrosséis da Feira de Outubro, de Vila Franca de Xira.
O espetáculo será apresentado ainda em: 
•    Teatro Municipal António Silva (Cacém - Sintra) - Sábado, 27 de Novembro. .

O DUELO 
A propósito da novela O Duelo (1811), de Heinrich von Kleist, que traduziu e agora adaptou para a encenação de Carlos Pimenta, diz Maria Filomena Molder: «Nem clássico nem romântico, Kleist é o primeiro moderno entre os poetas alemães.» Um dos autores prediletos de Kafka, mas renegado por Goethe e Hegel, que repudiavam o seu «teatro invisível», Kleist criou uma obra em desajuste com a sua época e as suas leis. História romântica de recorte policial passada no fim do século XIV, em O Duelo a honra e a sinceridade do triângulo de protagonistas parecem decidir-se no confronto que lhe dá título, onde será o juízo de Deus a conceder o triunfo à espada que defenda a verdade. Mas nada é o que parece, nem Deus é tão preciso como seria de esperar. Peça sobre o cálculo e o acaso, o fracasso e o sucesso, é regida pela vertigem de uma justiça poética e conduzida pela voz e corpo do ator Miguel Loureiro. 
Palco do Grande Auditório do CCB dia 25 às 21h00 e dia 26 às 19h00 e 21h00
 

O FESTIVAL SOLOS IBÉRICOS I
Com esta Primeira Edição do Festival, o Teatro Ibérico pretende criar um processo de relação regular com o mundo criativo espanhol. SOLOS IBÉRICOS I surge como um festival luso-espanhol que apresentará ao público objetos cénicos contemporâneos, sobretudo focados na performance e no teatro. Estes objetos constituirão uma programação que apresentará ao público português espetáculos contemporâneos, mostrando o que a geração mais nova de criativos luso-espanhóis está a produzir, procurando vetores criativos específicos que ultrapassem as características individuais próprias e deem lugar a uma ideia de “iberismo” criativo.
Os espetáculos serão de pequena produção, podendo ser desde solos programáticos de um único artista a pequenas performances teatrais ou musicais de companhias ou grupos, espanhóis e portugueses. De 30 de outubro a 28 de novembro.
OS ESPETÁCULOS:

27/11/2021 | 21:00 / 28/11/2021 | 17:00    Os Amores Encardidos de Padi e Balbina, de

TEATRO DE ALMADA 
A 25ª Mostra de Teatro de Almada decorre de 29 de Outubro a 28 de Novembro. 
Com 31 espetáculos apresentados por 25 grupos de Teatro, de Almada, do Seixal, de Lisboa e de Cascais, em 10 espaços culturais do concelho de Almada. 
Das atividades complementares ao programa destacamos a conversa-debate sobre os 25 Anos, a projeção de filmes, uma exposição documental e um passeio por Cacilhas com Francisco Silva.
O cartaz é colorido, plural e nele coabitam autores nacionais e estrangeiros: de Samuel Becket e Anton Tchekhov a Federico García Lorca, passando por Joaquim Paulo Nogueira, Romeu Correia, para além dos universos de Júlio Pomar e Antoine de Saint-Exupéry. Nesta grande festa do teatro em Almada, respira-se sobretudo a dramaturgia do mundo mas há também espaço para conversas, debates e exposições.
Durante quatro semanas, a comunhão entre artistas e público, consolida Almada como um lugar especial de arte e cultura de todos e para todos, onde o Teatro, a par do Tejo, é um imenso rio que desagua nos palcos do concelho.

EMMA DANTE La Scortecata
Inspirado nos contos populares, Giambattista Basile criou um fascinante e sofisticado mundo a partir do uso do dialeto napolitano, provérbios populares e calão, recorrendo explicitamente à commedia dell’arte e a formas de diálogo inspiradas em Shakespeare.
La Scortecata narra a história de um rei que se apaixona pela voz de uma mulher velha, que vive com a irmã numa cabana. O rei, iludido pelo dedo que se mostra pelo buraco da fechadura, convida-a a dormir com ele. Mas depois do ato consumado, apercebendo-se de que tinha sido enganado, atira-a da janela. A velha não morre e fica pendurada numa árvore. Aparece uma fada e, com um feitiço, transforma-a numa bela mulher e o rei casa-se com ela.
TeCA – Teatro Carlos Alberto . 24 e 25 novembro . 19h00

 

TEATRO PORQUE É INFINITO
Com direção artística de Victor Hugo Pontes, "Porque é Infinito" interroga os limites do amor, a partir de uma releitura do clássico de Shakespeare "Romeu e Julieta".
com a adolescência em pano de fundo, a peça parte de uma releitura do texto de Shakespeare assinada por Joana Craveiro para interrogar o amor e os seus limites. 
O espetáculo estará em cena no Teatro São João de 1 a 4 de dezembro, com récitas marcadas para as 19h00.
 

TEATRO COMÉDIA DE LOPE DE VEGA
“Nem come nem deixa comer” é uma expressão espanhola que se aplica ao cão do hortelão – isto é, ao animal que não permite que os outros comam a colheita, ao mesmo tempo que nem ele próprio a come. É sobre esta simples ideia que Lope de Vega (1562-1635) constrói a sua comédia de enredo mais famosa: O cão do hortelão. E foi sobre este texto que realizámos uma leitura feminista e liberal, navegando entre a comédia trepidante e a melancolia metafísica.
Espectáculo inserido na Mostra Espanha 2021, "Nem come nem deixa comer", de Lope de Vega, com encenação de Ignacio García é a próxima estreia da Companhia de Teatro de Almada. O espectáculo vai estar em cena na Sala Principal do TMJB, de 5 de Novembro a 5 de Dezembro, quinta a sábado, às 21h, quartas e domingos, às 16h. Na quarta, dia 1 de Dezembro, o espectáculo é às 21h.

CONTO DE NATAL DE CHARLES DICKENS
"O Natal só acontece uma vez por ano, triste verdade, pois se acontecesse todos os dias, este mundo seria bem diferente.
Esta é a mensagem de Charles Dickens e do seu Conto de Natal.Repicariam então os sinos com a sua sábia capacidade de transmitir todo um mundo espiritual, revelando-o como um grande amigo da infância.
Boas festas para todos, com os Contos de Charles Dickens." É provavelmente um dos mais famosos contos de Natal conhecidos: Um Conto de Natal de Charles Dickens e vai estar em cena no Villaret, pelo Teatro Companhia da Esquina até dezembro. Conta a história de Scrooge, um homem de negócios e ganancioso que não suporta a alegria do Natal, e que é confrontado com três espíritos na véspera de Natal, forçando-o a refletir sobre o seu comportamento. Um Musical para toda a Família, numa adaptação de Jorge Gomes Ribeiro a partir do texto original, para ver de 6 de novembro a 18 de dezembro, no Teatro Villaret em Lisboa.

TEATRO: À ESPERA DE GODOT
À Espera de Godot – um título que se tornou proverbial em todo o mundo. Talvez nenhuma outra peça do séc. XX tenha conhecido um alcance tão expressivo, tão global. É legítimo afirmar que, na noite em que estreou esta “tragicomédia em dois actos”, Samuel Beckett alterou por completo não apenas a literatura dramática, mas a própria condição teatral. Numa estrada, junto a uma árvore, duas criaturas sem eira nem beira, saídas de um vaudeville ou do cinema mudo, entretêm-se com jogos e picardias, rindo e chorando, discutindo tudo: um par de botas, os Evangelhos, o suicídio… Aguardam por alguém que não chega, que nunca chega: Godot, personagem-mistério que Beckett sempre se recusou a identificar com Deus, porque, mais do que aquilo que esperamos, lhe interessava realçar o que acontece enquanto esperamos. 
A peça "À espera de Godot", de Samuel Beckett, com encenação de Gábor Tompa, vai estar no Teatro Nacional São João, do Porto, de 9 a 19 de dezembro de 2021.

TEATRO: "40 E ENTÃO?" - ONLINE
40 e Então juntou Ana Brito e Cunha, Fernanda Serrano e Maria Henrique, uma década depois do sucesso de Confissões de Mulheres de 30. Com elas trouxeram histórias, muitas. Histórias comoventes, histórias divertidas, histórias de afectos, histórias novas, histórias antigas que os anos fazem viver de forma diferente. Histórias contadas por outras mulheres, com vivências diferentes, a quem a idade não assusta ou, se calhar, assusta e muito. Assita AQUI.

Sugestões Culturais

Preencha os seguintes dados, por favor:

Por favor, faça a conta abaixo.

Outros Destaques