EPA

AUTOR

Agência Lusa

Estado da União: É momento de Europa passar de fragilidade a nova vitalidade

today 16 de setembro de 2020

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, defendeu hoje, no seu primeiro discurso sobre o Estado da União, que é momento de a Europa “passar da fragilidade para uma nova vitalidade”, após os impactos da pandemia de covid-19.

“É momento de a Europa liderar este caminho, passando da fragilidade para uma nova vitalidade e é sobre isso que gostaria de vos falar hoje”, afirmou Ursula von der Leyen, no início da sua intervenção sobre o Estado da União no Parlamento Europeu, em Bruxelas.

“Digo isto porque nos últimos meses descobrimos os valores que temos em comum. […] Mostrámos o que é possível quando confiamos uns nos outros e nas instituições europeias”, acrescentou a responsável.

Numa altura em que a Europa ainda está a enfrentar consequências sanitárias e económicas da pandemia de covid-19, Ursula von der Leyen sublinhou que a estratégia comunitária tem sido a de “não só recuperar e reparar agora, mas também partilhar e formar um mundo melhor para o mundo de amanhã”.

“Esta é a nova geração Europa, é a nossa oportunidade de fazer com que as coisas aconteçam, não só por imposição ou catástrofe, mas criando oportunidades para o dia de amanhã”, adiantou.

E assegurou: “Temos visão, temos planos, temos investimento. Chegou a altura de pôr as mãos à obra”.

Ursula von der Leyen começou o discurso prestando homenagem aos serviços de saúde, notando que estes fizeram “milagres” perante um “vírus mil vezes mais pequeno que um grão de areia, que mostrou a fragilidade planetária”.

“[O surto] mostrou-nos a fragilidade do planeta, alterou a forma como nos comportamos e lidamos, afastando-nos uns dos outros e colocando máscaras nos rostos. […] As pessoas querem sair deste mundo do coronavírus, desta fragilidade e incerteza, estão prontas para a mudança e querem continuar caminho”, afincou.

Rejeitando “velhas desculpas e velhos desconfortos” para mudar, Ursula von der Leyen anunciou ter enviado esta manhã uma carta de intenções ao presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, e à chanceler alemã, Angela Merkel, dada a presidência do presidente do Conselho da UE, com “o plano da Comissão para o próximo ano”.

Entre as prioridades estão áreas como a ambiental, o digital, as migrações, a recuperação económica, a proteção do trabalho, entre outras.

Ursula von der Leyen terminou o seu discurso sobre o Estado da União, um dos mais longos da história, com cerca de 75 minutos, dizendo “viva a Europa” e arrecadando uma ovação em pé no hemiciclo do Parlamento Europeu.

Notícias Relacionadas