29 julho 2021
13:00
Redação

Marilyn Manson queixa-se de cilada contra ele

Amy Harris/Invision/Associated Press
Para o rocker, as acusações de abuso sexual são um "ataque concertado" contra o músico.

Brian Warner, mais conhecido pelo seu alter-ego musical de Marilyn Manson, contestou a ação judicial da atriz britânica Esmé Bianco, que o acusou de violar a lei de tráfico humano, ao fazê-la mudar-se de Inglaterra para a Califórnia depois de "falsas promessas" em papéis em vídeos musicais. Nessa ação judicial, Bianco alega que Manson a forçou a consumir drogas e álcool e de a ter impedido de dormir e comer. Nessa queixa legal, constam acusações de agressões por intermédio do chicote, choques elétricos e ameaças de violação.

Na contestação às acusações de Esmé Bianco, Marilyn Manson queixa-se de "ataque concertado" contra ele, numa referência em paralelo às restantes ações legais submetidas pela assistente pessoal Ashley Walters, pela modelo Ashley Morgan Smithline e por outra pessoa que quis preservar o anonimato, e pela dúzia de mulheres que alegam em público terem sido vítimas de abuso sexual, incluindo a ex-noiva do músico, Evan Rachel Wood.

Marilyn Manson diz que as acusações de Esmé Bianco são "falsas". "Estas pessoas, incluindo as queixosas, passaram meses a planear e a alterar as suas histórias, para transformar o que eram amizades e relações consentidas de há mais de uma década em versões distorcidas e afastadas da realidade". 

Na contestação, as mulheres queixosas são acusadas de "misturar o imaginário artístico de Warner como rocker chocante com o fabrico de histórias sobre abuso".

Mais Notícias