24 agosto 2021
17:37
Redação

Morreu Charlie Watts, baterista dos Rolling Stones

Robert E. Klein (Invision/Associated Press) - arquivo de 2019
O músico tinha 80 anos.


Charlie Watts, baterista dos Rolling Stones, morreu aos 80 anos. A notícia foi avançada hoje pelo agente Bernard Doherty, em comunicado. 

"É com muita tristeza que anunciamos a morte do nosso querido irmão Charlie Watts. Morreu pacificamente num hospital de Londres rodeado pela família", adiantou Doherty. 

"Charlie era um marido, pai e avô e membro dos Rolling Stones muito estimado. Era um dos maiores bateristas da nossa geração", continua o comunicado. "Pedimos que seja respeitada a privacidade da família, dos membros da banda e dos amigos próximos nestes tempos difíceis". 

No início de agosto, Watts foi submetido a uma intervenção médica, embora não fosse conhecida a natureza da operação. Na altura, a banda histórica anunciou que o baterista iria ser substituído temporariamente por Steve Jordan.

Charlie Watts é um dos membros fundadores dos Rolling Stones que se manteve sempre ligado à banda, a par de Mick Jagger e de Keith Richards.
 


As reações à morte do músico começam a multiplicar-se nas redes sociais: 

Mick Jagger, o frontman dos Rolling Stones, reagiu com a publicação de uma foto de Charlie Watts no seu posto natural, na bateria:
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Mick Jagger (@mickjagger)



O guitarrista do coletivo histórico, o lendário Keith Richards, publicou uma foto arrepiante: uma bateria vazia, com uma placa a dizer, "fechado".
 



"Deus te abençoe Charlie Watts. Vamos sentir a tua falta. Paz e amor para a família", escreveu o ex-Beatle Ringo Starr. 
 


 


O britânico Paul McCartney publicou um vídeo nas contas oficiais: "Sabia que ele estava doente mas não sabia que estava assim tão doente. Era um homem adorável. Envio muito amor para a família. As minhas condolências para os Stones. É um grande golpe para eles. O Charlie era um rochedo na banda. Um baterista fantástico", disse o ex-Beatle.
 


Brian Wilson (homem dos Beach Boys) também manifestou pesar pela perda: "Estou chocado. Não sei o que dizer. Sinto muita tristeza pela família do Charlie. O Charlie era um grande baterista e eu adorava a música dos Stones. Fizeram grandes discos", escreveu nas contas oficiais.



"Um dos ícones intemporais. A espinha dorsal dos Rolling Stones. É difícil imaginar a perda. Muito triste", escreveram os Kiss nas contas oficiais.

 



 

Os U2 também lembraram Watts: "Fazes um homem adulto chorar. Elegância sem esforço. O rochedo dos Rolling Stones", escreveram nas redes sociais.
 

 


"O homem com mais estilo e uma companhia brilhante", escreveu o veterano Elton John. 
 



Os Duran Duran também usaram as redes sociais para prestar homenagem a Watts: "Ficámos muito tristes por saber do falecimento de Charlie Watts. É uma inspiração absoluta para uma legião de bateristas desde os anos sessenta. Um homem com estilo, dignidade e compostura. O seu estilo simples serviu de lição para todos nós. Quando ouvimos o Charlie a tocar, percebemos que não havia necessidade de exagerar na performance. Era uma questão de groove, de servir a banda e, claro, de servir a música. Apesar de estar na maior banda de rock de todos os tempos, a humildade que tinha e a forma discreta como agia foram uma luz para todos nós seguirmos".
 



Pete Townshend, dos The Who, também partilhou um texto emotivo com uma foto de um arco-íris a acompanhar a publicação que disse ser "um sinal".  "O Charlie Watts chorou no funeral de Keith Moon. Gostaria de ser capaz de chorar daquela forma hoje. Em vez disso, só quero dizer adeus. Não era um baterista de rock, era um baterista de jazz. É por isso que os Stones tinham aquele swing. Um homem adorável", escreveu na publicação de homenagem a Watts.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by pete townshend (@yaggerdang)

 

"Estamos profundamente tristes com a morte do Charlie Watts. O impacto que esta perda tem nos músicos e nos fãs de música no planeta inteiro é profunda" lê-se na nota publicada pelos Pearl Jam, assinada por Eddie Vedder. "O seu estilo e som na bateria vão viver para sempre nas canções. São canções que ficarão para sempre nos nossos corações. É também onde está agora o Charlie. (...) Foi uma verdadeira honra ter estado na sua presença.
 


 
Joan Baez também usou as redes sociais para lamentar a morte de Watts: "Em 2020 pintei este retrato para a série que estou a fazer com os meus amigos músicos. Charlie Watts. Um príncipe entre ladrões. Um cavalheiro".
 



Chad Smith, o baterista dos Red Hot Chili Peppers, também publicou uma imagem com Charlie Watts:
 





O músico norte-americano Questlove (The Roots) escreveu: "o batimento cardíaco do rock n' roll".

 

"Um dos maiores bateristas de todos os tempos e um verdadeiro cavalheiro", escreveu o canadiano Bryan Adams. 


"Desapareceu um herói. Estou sem palavras. Um vazio enorme no universo", escreveu a cantora Sheryl Crow. 

 



O portuense Pedro Abrunhosa também reagiu à morte do baterista:
 

 

"Grande Charlie, um monstro do Rock n' Roll. Um gentleman, uma boa memória este dia em que, por causa do Luis Jardim tocar com o Charlie, conheci também o Ronnie e o Keith, levado pelo próprio Charlie. A estrada foi longa, amigo, agora tocas no paraiso do Rock n Roll!", escreveu o músico Rui Veloso nas redes sociais.
 

 

Mais Notícias