10 setembro 2021
16:25
Paulo Alexandre Santos

Eurobarómetro: portugueses colocam ambiente à frente da economia

LUSA
Pela primeira vez, portugueses apontam as ações contra as alterações climáticas como a principal prioridade.

Um inquérito Eurobarómetro publicado hoje pelo Parlamento Europeu (em antecipação do debate sobre o estado da União Europeia, em 15 de setembro) mostra pela primeira vez os portugueses a colocarem as alterações climáticas no topo das prioridades.  

Questionados sobre os temas que gostariam que o Parlamento Europeu abordasse prioritariamente, os portugueses colocam as ações contra as alterações climáticas em primeiro lugar, com o apoio de 50% dos inquiridos nacionais (43% média europeia). Outras prioridades consideradas pelos inquiridos portugueses (que correspondem às prioridades do Parlamento para a recuperação pós-pandemia) são medidas de luta contra a pobreza e a exclusão social (46%) ou o apoio à economia e à criação de novos empregos (43%).

 Os portugueses são também os europeus que mais consideram que os benefícios da vacina contra a covid-19 superam os riscos (87%) e que mais defendem o ?dever cívico? da vacinação (86%).

De acordo com o inquérito, encomendado pelo Parlamento Europeu no âmbito do discurso sobre o Estado da União, marcado para quarta-feira, 87% dos portugueses concordam e tendem a concordar que os benefícios da vacina compensam os seus riscos, o valor mais alto dos 27 Estados-membros e 15 pontos acima da média da UE (72%).

Dos inquiridos em Portugal 54% concordam ou tendem a concordar (32%) que vacinar-se contra a covid-19 é ?um dever cívico?, também o valor mais alto de respostas positivas entre os Estados-membros.

Ainda sobre o combate à pandemia do coronavírus SARS-CoV-2, a grande maioria dos portugueses (82%) estão satisfeitos (58%) ou muito satisfeitos (24%) com a forma como o Governo geriu a estratégia de vacinação (UE 50%).

Questionados sobre a gestão que a UE tem feito da estratégia de vacinação, 84% dos portugueses estão satisfeitos (69%) ou muito satisfeitos (15%) e 89% concordam (36%) e tendem a concordar (53%) que a UE está a desempenhar um papel fundamental para garantir o acesso às vacinas contra a covid-19 em Portugal, sendo as médias da UE de, respetivamente, 49% e 64%.

A satisfação nacional estende-se também à solidariedade entre os estados membros no combate à pandemia, que convence 80% dos portugueses, como revela o quadro seguinte.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, profere na quarta-feira em Estrasburgo o discurso sobre o Estado da UE ? uma prática inaugurada por José Manuel Durão Barroso em 2010 ? e a luta contra a covid-19 estará, mais uma vez, entre os temas a abordar.

O inquérito foi conduzido 'online' pela empresa Ipsos European Public Affairs entre 17 e 25 de agosto de 2021, com 26.459 inquiridos a partir dos 15 anos em todos os 27 Estados-membros.

A dimensão da amostra é composta por 500 entrevistas no Luxemburgo, Chipre e Malta e mil nos restantes países europeus.

 

Mais Notícias