12 outubro 2021
18:08
Agência Lusa

Ministro da Educação defende que a consciência ambiental começa nas escolas

LUSA
Tiago Brandão Rodrigues falava em Sintra na cerimónia galardão eco-escolas da Associação Bandeira Azul da Europa.

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, defendeu hoje que a consciência ambiental começa nas escolas, no âmbito da cerimónia que atribuiu prémios a várias escolas no âmbito do projeto eco-escolas.

"Este é um projeto de grande significado. Através do eco-escolas tem sido possível em cada uma das escolas modificar a sua face visível e aí contaminar as nossas comunidades. Sabemos bem que quando começámos a reciclar nas nossas escolas ainda não se reciclava na nossa sociedade, quando a consciência ambiental apareceu nas escolas a sociedade não falava nisso. Foi a partir da escola que acabámos por mudar gerações de portugueses", afirmou o ministro. 

Tiago Brandão Rodrigues falava em Sintra na cerimónia galardão eco-escolas da Associação Bandeira Azul da Europa. 

Esta cerimónia serviu para reconhecer o trabalho desenvolvido no âmbito educação para a sustentabilidade e atribuir prémios às escolas vencedoras. 

Para o ministro, o esforço de proteger o planeta deve ser coletivo e os jovens estão cada vez mais informados e críticos para o fazer. 

"Temos de fazer mais. Eles não precisam da nossa lição, porque são eles que nos dão lições todos os dias", acrescentou. 

No ano letivo 2020/2021 foram galardoadas 1620 escolas, mais três do que no ano anterior; foram lançados 19 projetos e 56 atividades, tendo-se atribuído 387 prémios. 

A organização adiantou que pela primeira vez será atribuído o galardão ecocampus dirigido às instituições do ensino superior que já foram galardoadas com o eco-escolas no ano letivo 2020/2021 - 50 vencedoras - para o qual estão abertas as candidaturas até ao final de outubro.

O programa eco-escolas celebra 25 anos em Portugal e cobre atualmente cerca de 70 países, mais de 20 milhões de estudantes. 

Mais Notícias