29 outubro 2021
09:19
Redação / Agência Lusa

Aumentam multas por falta de inspeção automóvel

MÁRIO CRUZ/LUSA
Relatório da ANSR avança que também aumentaram multas por não uso das cadeiras para crianças, cinto de segurança e utilização do telemóvel durante a condução.

As multas por falta de inspeção periódica obrigatória quase que duplicaram até agosto face ao mesmo mês de 2020 ao terem sido registadas pelas forças de segurança 40.671 contraordenações, segundo a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

No relatório de sinistralidade e fiscalização rodoviária de agosto, a ANSR avança que também aumentaram, entre janeiro e agosto deste ano, as infrações por não uso das cadeirinhas para crianças e do cinto de segurança, bem como pela utilização do telemóvel durante a condução.

Segundo a ANSR, foram apanhados a conduzir com telemóvel 17.639 condutores nos primeiros oito meses do ano, registadas 14.479 infrações por não uso do cinto de segurança e 1.571 por não uso de sistemas de retenção para crianças.

Entre janeiro e agosto, foram multados 40.671 condutores por falta de inspeção obrigatória, enquanto no mesmo período de 2020 tinham sido detetadas 20.779 contraordenações.

Em contrapartida, as autoridades registaram uma diminuição das infrações por excesso de velocidade e nas transgressões por consumo de álcool acima do limite legal.

O relatório indica que, entre janeiro e agosto, foram fiscalizados 77,4 milhões de veículos, quer presencialmente, quer através de meios de fiscalização automática.

“A GNR e a PSP em conjunto registaram uma descida de 1,1% no número de veículos fiscalizados, sendo que o sistema de radares SINCRO gerido pela ANSR registou uma redução de 0,9%”.

De acordo com a ANSR, foram detetadas 778,1 mil infrações nos primeiros oito meses do ano, o que representa uma diminuição de 9,4% face ao período homólogo de 2020.

Já a criminalidade rodoviária, medida em número total de detenções, aumentou 21,5% entre janeiro e agosto de 2021. O relatório indica que 45,4% das detenções se deveu à falta de habilitação legal para conduzir.

A ANSR refere ainda que o número de condutores que perdeu pontos na carta de condução foi 272,9 mil, até agosto de 2021 e, desde a entrada em vigor do sistema de carta por pontos, em junho de 2016, 1.683 automobilistas ficaram com o seu título de condução cassado.