27 novembro 2021
19:16
Redação / Agência Lusa

Marcelo diz que repatriamento de portugueses depende de juízos das autoridades sanitárias

Lusa
Há portugueses residentes em Moçambique a pedirem repatriamento por causa das restrições às viagens, no contexto da pandemia.

O Presidente da República considerou hoje que o repatriamento de cidadãos portugueses, por causa da estirpe do SARS-CoV-2 recentemente descoberta, depende dos “juízos das autoridades sanitárias”, mas lembrou que o processo é da competência do Governo.

No final de uma visita ao Centro de Vacinação Paz Flor, nos arredores de Luanda, Marcelo Rebelo de Sousa foi questionado sobre os pedidos de repatriamento de vários portugueses residentes, por exemplo, em Moçambique, por causa das restrições às viagens decretadas para mitigar a propagação da mais recente variante, detetada na África do Sul.

“Não vou antecipar aquilo que é uma competência do Governo nessa matéria de repatriamento, por envolver intervenção de juízos das autoridades sanitárias”, referiu o chefe de Estado.

Neste momento, prosseguiu, “entra o saber ir medindo a progressão de casos fora do país, dentro do país, de portugueses dentro do país ou fora do país”.

Questionado também sobre a proporcionalidade das medidas apresentadas na última semana pelo Governo para conter a pandemia em Portugal face ao aparecimento da Omicron, o Presidente da República recordou que já durante a última sessão do Infarmed um dos epidemiologistas falou “com conhecimento de causa da existência” de uma “variante da variante e tinha dito que era mais contagiosa”, mas possivelmente menos fatal.

Mais Notícias