28 janeiro 2022
10:57
Redação

Com a Dinamarca na frente, Europa prepara-se para o pós-pandemia

LUSA
A partir de dia 1 acabam as restrições de combate à pandemia na Dinamarca. Em Portugal a normalidade deve regressar na primavera.

 

Depois de dois anos de pandemia, a vacinação permite um vislumbre de regresso à normalidade. Apesar do aumento do número de novos casos (impulsionados pela variante Omicrón), com recordes em vários pontos da Europa, vários países preparam-se para o regresso à normalidade, com a segurança da vacinação generalizada. 

É o caso da Dinamarca que está a registar recordes diários mas, perante a redução dos internamentos e das situações de doença grave, decidiu acabar com todas as restrições no âmbito do combate à covid-19, já a partir do dia 1 de Fevereiro. É o primeiro membro da União Europeia a fazê-lo.

Os dados da Autoridade de Saúde e de Medicina da Dinamarca mostram que cerca 82% da população do país tem duas doses da vacina e 50% dessas pessoas tem a terceira dose.
Noutros países está previsto, ou já em vigor, o alívio das medidas de contenção de pandemia. 

Em França as regras mudam a 2 de fevereiro. As salas de espetáculos, os pavilhões desportivos e outros eventos deixam de ter limitação de espetadores e as máscaras deixam de ser obrigatórias ao ar livre. O teletrabalho deixa de ser obrigatório mas existe a recomendação de trabalho a partir de casa três vezes por semana. 

Em Inglaterra, desde dia 27 de Janeiro, deixou de ser obrigatória a apresentação de certificado de vacinação ou de recuperação para a entrada em restaurantes, bares, cafés, discotecas ou eventos culturais em Inglaterra. O uso de máscara em espaços públicos passa a ser "recomendado" em vez de obrigatório. 

Nos Países Baixos, os restaurantes, cafés e bares já reabriram e podem funcionar até às 22h00,mas continua a ser obrigatório apresentar à entrada um teste negativo e a prova de vacinação ou de que se está recuperado de uma infeção. 

Na Catalunha, a partir desta sexta-feira, deixa de ser obrigatório apresentar o certificado digital Covid-19 para entrar em bares, restaurantes, ginásios e lares.
Em sentido contário, Alemanha ou Suécia dizem ainda não ser ainda tempo de relaxar as medidas.

Em Portugal, a Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública prevê que a transição para o início de uma vida normal deve começar na primavera. O presidente da associação, Gustavo Tato Borges, acredita que depois de ser atingido o pico da vaga nas próximas semanas, o número de casos vai cair acentuadamente em março e a covid 19 vai começar a ser vigiada como a gripe. O uso de máscara, os isolamentos e a testagem em massa são medidas que devem deixar de existir.

 

Mais Notícias