Ouça a Smooth FM nas nossas Apps
22 junho 2022
08:04
Agência Lusa

Mais de mil pessoas morreram na sequência de um sismo no Afeganistão

EPA
Segundo porta-voz do Governo afegão há registo de pelo menos 1500 feridos.

Pelo menos 1.000 pessoas morreram na sequência do sismo de 5,9 na escala de Richter que afetou o leste do Afeganistão, segundo o balanço mais recente do porta-voz do governo à estaçaão televisiva norte-americana NBC, que avança com pelo menos 1500 feridos.

O sismo foi registado hoje a cerca de 46 quilómetros da cidade de Khost, perto da fronteira entre o Paquistão e o Afeganistão, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), que também relatou um tremor secundário de 4,5 de magnitude.

Imagens partilhadas nas redes sociais mostram várias casas destruídas, enquanto o governo talibã já iniciou os esforços de resgate enviando ajuda, helicópteros e material médico.

De acordo com a agência sismológica europeia EMSC o abalo foi sentido ao longo de 500 quilómetros por 119 milhões de pessoas no Afeganistão, no Paquistão e na Índia.

O serviço geológico dos Estados Unidos (USGS) indicou que o sismo, com uma magnitude de 5,9, ocorreu a uma profundidade de 10 quilómetros, pelas 04:30 TMG (05:30 em Lisboa), perto da fronteira com o Paquistão.

Em meados de janeiro, um sismo de 5,3 graus de magnitude abalou o noroeste do Afeganistão, matando pelo menos 26 pessoas, segundo dados da ONU, e destruiu 800 casas em diferentes distritos da província de Badghis.

Também em outubro de 2015, um sismo de magnitude 7,7 com epicentro no extremo nordeste do país causou mais de 100 mortos no Afeganistão e quase 300 mortos no vizinho Paquistão, onde mais de 2.000 também ficaram feridos.

 

Mais Notícias