Ouça a Smooth FM em qualquer lado.
Faça o download da App.
05 dezembro 2022
13:46
Redação

Confusão na compra de bilhetes: fãs de Taylor Swift processam Ticketmaster

Arquivo de 2013 Michelle Siu/Associated Press
"Milhões de fãs, que esperaram ao longo de oito horas, não conseguiram comprar os bilhetes", lê-se na queixa que deu entrada num tribunal de Los Angeles.

Um grupo de fãs da cantora Taylor Swift processou a gigante Ticketmaster na sequência da confusão que marcou o processo de venda dos bilhetes para os concertos da digressão "Eras".

Em novembro, durante o processo de pré-venda, a empresa norte-americana teve de cancelar a operação devido à elevada procura por parte do público e dos subsequentes problemas no sistema que impossibilitaram a aquisição dos códigos que viabilizavam o acesso à compra. Segundo a imprensa internacional reportou na altura, o site caiu diversas vezes, deixando os compradores em longas filas de espera - o que acabou por gerar queixas e reclamações por parte dos fãs. Um comunicado da empresa, publicado nas redes sociais, justificou o cancelamento da venda com uma "procura extraordinariamente elevada" pelos ingressos e com um grande número de ataques de bots

A atuação da Ticketmaster acabou por deixar muitos fãs sem bilhete - ao mesmo tempo os preços no mercado paralelo subiram substancialmente. 
 

 

No processo - que segundo a Rolling Stone deu entrada num tribunal de Los Angeles, na Califórnia, na sexta-feira - os fãs acusam a Live Nation Entertainment, a empresa matriz da Ticketmaster, de ter permitido que bots tivessem atuado no site, o que impossibilitou a compra dos bilhetes por parte de compradores legítimos. "Milhões de fãs, que esperaram ao longo de oito horas, não conseguiram comprar os bilhetes", refere a queixa citada pela Rolling Stone.   
 
Quando a venda foi cancelada pela Ticketmaster, Taylor Swift reagiu. Através de um longo comunicado, publicado nas redes sociais, a artista manifestou um profundo descontentamento com o que aconteceu. "Perguntámos uma série de vezes se estariam aptos para lidar com a procura. Asseguraram-nos que sim", escreveu a cantora e compositora. "É muito difícil confiar em entidades externas, com esse tipo de relações e direitos. É doloroso para mim ver este tipo de erros a acontecer", acrescentou.

A digressão de Taylor Swift arranca a 17 de março no estado do Arizona, Estados Unidos.

Mais Notícias