Ouça a Smooth FM em qualquer lado.
Faça o download da App.
07 dezembro 2022
16:39
Agência Lusa

Évora será capital europeia da cultura em 2027

Agência Lusa
Cidade vai receber 29 milhões de euros oriundos de fundos nacionais e europeus.

-- Évora será Capital Europeia da Cultura em 2027, juntamente com Liepaja, na Letónia, foi hoje anunciado, numa conferência de imprensa em Lisboa, no Centro Cultural de Belém (CCB).

A cidade de Évora foi escolhida de um lote de quatro finalistas, do qual também faziam parte Aveiro, Braga e Ponta Delgada. O anúncio foi feito pela presidente do júri internacional, Beatriz Garcia.

Évora terá uma dotação financeira de 29 milhões de euros, dos quais 15 milhões de euros serão de financiamento nacional, 10 milhões de euros de fundos europeus, através do Programa Operacional do Alentejo, e quatro milhões de euros do Turismo de Portugal, sujeitos a candidatura, explicou hoje o ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva.

Momentos antes do anúncio, o governante, na mesma conferência de imprensa, destacou o "processo muito dinâmico" de escolha portuguesa para Capital Europeia da Cultura 2027, "revelador da vitalidade cultural do país e do dinamismo do território".

 "De um território que vê na Cultura um fator de transformação da identidade, de reforço de identidade, através da memória, mas também através da possibilidade de projetar pela Cultura o futuro, e uma alavanca para o desenvolvimento e para a valorização dos nossos territórios", afirmou Pedro Adão e Silva.

O ministro da Cultura viu este processo de escolha "como uma responsabilidade conjunta e um momento de transformação".

"Um momento de transformação em que a cidade vencedora transformar-se-á pela Cultura, consolidando estruturas, deixando por isso um legado que deve perdurar para além de 27, acho que isso é muito importante, promovendo o desenvolvimento, a inovação e a criatividade, mas também com uma preocupação com a formação de novos públicos", defendeu.

Pedro Adão e Silva destacou "a importância" de as quatro finalistas serem "quatro cidades que estão fora das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto": "Isso é fundamental para o país, essa possibilidade de termos uma presença da Cultura no território, para além de Lisboa e do Porto".

O facto haver mais uma cidade portuguesa como Capital Europeia da Cultura é, para o ministro, "uma grande oportunidade de longo prazo". "Porque espero que os efeitos desta experiência sejam efeitos no tempo, mas também com um longo alcance de transformação do território", disse.
 

Mais Notícias