AUTOR

Redação / Agência Lusa

Vhils inaugura a primeira grande exposição individual nos Estados Unidos

today 14 de janeiro de 2020

O centro norte-americano de arte contemporânea em Cincinnati, anunciou hoje que vai receber, na primavera de 2020, uma exposição do português Alexandre Farto (ou "Vhils"), conhecido pela sua arte urbana. A exposição vai ser inaugurada a 21 de fevereiro.

Numa publicação do Facebook, Vhils anuncia que a exposição "Haze" vai "reunir um novo corpo de obras, representando a reflexão" que o artista tem "vindo a desenvolver na última década". Adianta que “esta exposição individual pode ser vista como uma continuação direta – e, de certa forma, como o culminar – do trabalho que [tem] vindo a desenvolver ao longo da última década em vários locais na Europa, África, Ásia, Oceania e nas Américas".

 

 

Segundo a Agência Lusa, a exposição vai apresentar uma diversidade de obras, maioritariamente ‘site-specific’, materializadas em vários suportes, incluindo portas de madeira esculpidas, dioramas esculturais, peças de pequeno e grande formato com aglomerados de cartazes esculpidos à mão, instalações vídeo imersivas e composições de gesso cartonado esculpido, entre outras.

Vhils irá também realizar uma das célebres obras com recurso a explosivos, a primeira dentro de uma instituição artística.

O Centro de Arte Contemporânea de Cincinnati destaca que a exposição ocupa dois andares da organização, "procurando estabelecer um diálogo subtil com o icónico edifício projetado pela reconhecida arquiteta iraquiana-britânica Zaha Hadid". Acrescenta também que o artista vai ainda criar algumas peças com materiais recolhidos nas ruas de Cincinnati.

Vhils visitou os Estados Unidos pela primeira vez em 2008 para uma exposição coletiva em Nova Iorque. A partir daí já viajou e trabalhou deixando a sua marca em vários Estados e cidades, como Baltimore (2012), Chicago (2018), Detroit (2014), Fort Smith (2015), Honolulu (2014), Las Vegas (2013), Los Angeles (2010, 2011, 2014 e 2018), Miami (2011 e 2018), Filadélfia (2013) e San Diego (2010), segundo a Agência Lusa.

No ano passado, as exposições individuais marcaram presença em Shanghai, na China, em Nova York, nos Estados Unidos, e em Brasília, no Brasil.

A Lusa afirma que Alexandre Farto vai aproveitar esta exposição em Cincinnati para criar “uma interação entre a realidade local e o contexto global mais amplo, como forma de refletir sobre a condição humana atual”, uma prática que tem sido habitual no artista.

A agência acrescenta que, para o artista, “esta justaposição intencional de materiais e temas espelha a interação entre elementos de várias culturas que observamos hoje nos grandes ambientes urbanos globalizados, e procura tanto confrontar quanto estabelecer um diálogo que explora as semelhanças e as diferenças entre eles”.