09 novembro, 2021
2 mins
Mixed Feelings

Copo meio cheio ou meio vazio

Se o vemos meio cheio, porque apesar dos pesares são muitas as coisas magníficas que a vida tem, sorrimos; se o percecionamos meio vazio, porque não vemos o que temos só e olhamos para o que nos falta, logo pomos uma expressão de aflição. 

Ver o copo meio cheio ou meio vazio faz toda a diferença! Não só para nós mas (tantas vezes inadvertidamente) em todo o ambiente à nossa volta. Mesmo sem querer, a nossa atitude perante as coisas que vemos, e que vão acontecendo, vai interferir nos pensamentos e sentimentos dos que nos rodeiam, vai criando uma envolvência que pode ser leve ou pesada, bonita ou feia, boa ou má. No trabalho, na família, com os amigos, ver em tudo problemas, preocupações e angústias, empurra para longe a alegria e a paz. Não é que a vida normalmente não tenhas essas preocupações e angustias. Todos as temos de uma maneira ou de outra, claro. E quem procura uma vida sem questões, procura o que não é possível de encontrar. Mas a forma como olhamos para a realidade, para os acontecimentos (uns inesperados, outros expectáveis) é que pode ser diferente e tornar a vida mais leve ou mais pesada, mais feia ou mais bonita, boa ou má. E isso depende de nós…e da forma como olhamos para o copo: se o vemos meio cheio, porque apesar dos pesares são muitas as coisas magníficas que a vida tem, sorrimos; se o percecionamos meio vazio, porque não vemos o que temos só e olhamos para o que nos falta, logo pomos uma expressão de aflição. 
Não quero com isto dizer que tenhamos que andar sempre de sorriso rasgado, com ar apatetado de quem não sabe medir os perigos. Não é isso! O que eu quero dizer é que devemos deixar o ar mais grave e sério para os assuntos que assim o merecem; e tentar ver todas as outras coisas com sentido mais descontraído, sem dramas nem tristezas. É melhor para nós, e indiscutivelmente é melhor para todos os que se cruzam connosco.
Interessante como esta característica de caráter mais alegre ou triste, mais otimista ou pessimista pode ser atribuída a um povo: não é o que se diz dos espanhóis, que são alegres com muito salero? Ou os brasileiros que são uns foliões por natureza, com o seu carnaval incomparável? E os portugueses? Esses são hospitaleiros mas infinitamente tristes…e basta pensar no fado…tantas vezes acompanhado por uma guitarra arrepiante mas que chora…
E consigo, o copo costuma estar meio cheio ou meio vazio? Para saber, o melhor é perguntar aos que costumam estar à sua volta porque muitas vezes essa noção de nós próprios, escapa-nos. Apetece-lhe cantar como Louis Armstrog «What a Wonderful World»? Esse é um bom indicador…e podemos adivinhar que para este cantor, apesar de todas as dificuldades, o copo estaria muitas vezes meio cheio…

 

Dora Isabel