01 julho, 2021
0 mins
Poema do Dia

Gonçalo Câmara

Poema doente

Não quero ser um poeta ancorado

um doente que se move na memória inventada

não me prendam nem peçam que fique 

eu preciso de ir

partir do real para outra estrada

vocês já sabem que eu reparo

naquilo que está escondido

e hoje choro

porque onem todos vêem aquilo que eu vejo

porque nem todos ouvem o que eu oiço

porque nem todos sentem o que eu sinto

é urgente a estrada

nada é pior que um poeta descalço 

sem a terra batida.