XSL = d:\sites\smooth_final/xsl_files/rubricas/que-coisa-sao-as-tardes-body.xsl
XML = http://smoothfm.iol.pt/webservices/smooth/smooth_rubricas.asmx/GetRubricaInfo?rubrica_id=1484

Consciência da Imperfeição

A consciência da perfeição deixa-nos em cacos. O seu contrário move-nos improváveis mas polidos. 

Não vivi na anterior, apenas conheço histórias contadas. Não vivo na seguinte, mas oiço e vejo casos próximos. Mas vivo a minha. E a minha...bem, a minha geração vai atrás da perfeição. É a geração do "ou não me chame eu fulano tal" ou do "ai de mim que não consiga pôr isto no sítio". 

Da ideia transcendente que vai revolucionar a vida dos portugueses à montagem da nova cómoda para o escritório, passando pela relação com a nossa mulher e os nossos filhos, tudo tem de ser perfeito. Não pode haver erros de casting nem desvios. E depois já sabemos como funciona, todo o desvio é insuportável. Tentamos explicar o inexplicável, questionamos o inquestionável e abraçamos uma frustração que pode ser daquelas amigas que nos dá uma palmadinha nas costas e segue caminho; ou das exigentes que demora a largar. Queremos sempre ser como pequenos deuses, donos até do nada. E as partidas que nos vão pregando deitam-nos no chão, imóveis. 

Para uns, a perfeição é a mesa posta todos os dias. Para outros, é ver a família reunida até no chão. Poder olhá-la nos olhos. Abraçar e discutir. A família precisa de discutir para refazer. A família refaz-se em cada discórdia. É necessária a consciência da imperfeição. Dar cabo dos timmings, pôr de lado a ideia construída de raiz.

Não é a perfeição que nos tolda o olhar, é o caminho que assumimos fazer para lá chegar. Não só é preciso dizermos mais vezes que estamos longe de sermos perfeitos como devemos afastar-nos deliberadamente dessa realidade. Ver no outro a perfeição e querer igual torna-se uma admiração doentia. Quem nos rodeia passa a ser sempre adversário. A perfeição traz-nos a penosa ressaca. 

O erro é a mais bela forma de construção. É preciso voltar à consciência da imperfeição. Ter ciente esse sentido de pertença. Dizer "é imperfeita mas é a minha". Seja para a família, para a maneira de ser, para a cómoda ou para a vida.  

Gonçalo Câmara

Mais