28 janeiro, 2021
Mixed Feelings

Isolamento e Magia!

Descobri! Posso gritar «Eureka!» O rádio está a tocar, a rádio está no ar…e a emissão corre como corre todos os dias.

Suave, com aquelas músicas que nos provocam aquelas emoções. Como se tudo estivesse normal… mas não está! Dois isolamentos profiláticos seguidos são violentos. Ok, ok, isto não é a guerra, blá, blá, blá...estar em casa no conforto do nosso lar até é muito bom, blá,blá,blá…sim, é tudo verdade. Mas estar dentro da própria casa, que supostamente é o sítio mais seguro do mundo, a sentires-te inseguro, desconfiando de cada puxador de porta, de cada prato trazido dos quartos dos que estão em quarentena, do próprio ar que respiramos, obrigando ao uso de máscara, dia após dia ao longo de 14 longos dias…não é fácil de assimilar. No sítio mais seguro do mundo, a tua casa, tens de andar empunhando um desinfetante em spray para pulverizares tudo por onde possa ter passado o inimigo, qual arma à espera de ser disparada em resposta ao primeiro gesto em falso que possas apanhar. As bonitas toalhas de linho e turco são retiradas das casas de banho para dar lugar a um grosseiro rolo de papel gigante, que passará a ser usado para limpar as mãos. A mesa sempre cheia passa a ficar vazia para dar lugar a tabuleiros levados a todas as refeições aos quartos dos confinados. Vigiar sintomas, assistir às necessidades, tuas e de toda a numerosa família, não poder sair nem para ir ao fundo da rua. São as rotinas, tão importantes para o equilíbrio do ser humano, viradas-de-pernas-para-o-ar. Não é fácil!  Quando o inimigo está na tua própria casa! E piora quando 2 dias depois dos 14 dias terem terminado, voltamos à estaca zero e nos esperam mais 14 longos dias fechados em casa. Mas que se vivem com esperança e com o sentido de assim estarmos a contribuir para a responsabilidade social que nos obrigamos a ter. A isso chama-se coerência, qualidade que sempre apreciei. Coerência entre o que dizemos e o que fazemos. «É preciso pensar nos outros!», defendem sempre com todas as palavras, muitas das pessoas que nos rodeiam. Este é o momento! Este é a oportunidade de fazer mesmo o que apregoamos, de nos preocuparmos efetivamente com os outros. Mas infelizmente à minha volta ainda vejo tantos e tantas, que sempre se dizem próximos dos próximos mas que neste momento arranjam mil desculpas para que as suas vidas continuem a gravitar à volta das suas ideias e agendas! Que pena! Nem se apercebem das mil parvoíces que dizem e defendem. E de como nem para eles próprios estão a ser bons!  
À nossa volta, infelizmente, há famílias mais fustigadas do que a nossa, porque do desgaste do isolamento passaram para o sofrimento do hospital. Quando pensamos neles sentimos que não temos o direito de nos queixarmos. Mas também isso nos provoca angústia! Tanto padecimento pelo país fora, pelo mundo adentro. Isto não está fácil! Parece que já não reconhecemos este mundo como aquele onde vivemos de forma mais descomprometida até há uns meses! Preciso então de me agarrar a alguma coisa que me faça voltar ao que sempre foi, nem que seja por uns breves instantes…e aí ligo o rádio…e eureka! Ali tudo está maravilhosamente no sitio certo. A música da Smooth fm, a de sempre, fantástica…o ambiente desta rádio que nos dá sempre serenidade. Era mesmo disto que estava a precisar. Fecho os olhos, esboço um sorriso e coloco o volume mais alto…até porque está a tocar uma das minhas favoritas se sempre…You are the sunshine of my life – Stevie Wonder. Por uns momentos a rádio continua a fazer magia!

Dora Isabel