11 novembro 2021
16:52
Agência Lusa

Asteroide próximo da Terra pode afinal ser um fragmento da Lua

DR
Estudo de astrónomos dos EUA dizem que o padrão de luz refletida do asteroide corresponde ao das rochas lunares das missões espaciais Apollo.

Um asteroide próximo da Terra chamado Kamo'oalewa pode ser um fragmento da Lua, revela hoje um estudo conduzido por astrónomos nos Estados Unidos.

O Kamo'oalewa, nome retirado de um cântico havaiano, foi descoberto em 2016 e é classificado como um quase-satélite, uma subcategoria de asteroides próximos da Terra que orbitam o Sol.

Segundo a equipa de astrónomos que fez a investigação, o padrão de luz refletida do asteroide corresponde ao das rochas lunares das missões espaciais Apollo, realizadas entre 1969 e 1972, sugerindo que o corpo rochoso tem origem na Lua.

A órbita do asteroide, semelhante à da Terra mas com menor inclinação, pode ser outro indício para a sua origem lunar, adianta em comunicado a universidade norte-americana do Arizona, que liderou a investigação, cujos resultados foram divulgados na publicação da especialidade Nature Communications Earth and Environment.

A luz de Kamo'oalewa é cerca de quatro milhões de vezes mais fraca do que a da estrela mais ténue que o olho humano consegue ver no céu, pelo que a sua observação só pode ser feita com êxito com telescópios potentes, como o Grande Telescópio Binocular, no Arizona, que tem dois espelhos de 8,4 metros de diâmetro.

Devido à sua órbita, que se manterá tal como está por mais 300 anos, estimam os astrónomos, o asteroide só pode ser observado da Terra em abril, durante algumas semanas.